Associação de delegados se diz preocupada com fala de Temer e afirma que PF ‘não protege nem persegue’

Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) divulgou nota nesta sexta-feira (27) na qual manifestou “preocupação” com a fala de mais cedo do presidente Michel Temer, acrescentando que a PF “não protege nem persegue qualquer pessoa”.

Alvo de um inquérito, Temer afirmou nesta sexta que é alvo de “mentiras” e de “vazamentos irresponsáveis”.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, o presidente disse, também, que determinaria ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que investigasse o caso – Jugnamnn já mandou a PF apurar os “vazamentos” das informações.

“Vou sugerir ao ministro Jungmann que apure internamente como se dão esses vazamentos irresponsáveis porque, mais uma vez eu digo, não é a imprensa que vai lá de forma escondida para examinar os autos. Os dados são fornecidos por quem preside o inquérito, que comanda o inquérito, seja aonde for, e naturalmente, quando isso chega à imprensa, a imprensa divulga”, afirmou Temer no pronunciamento.

“A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) manifesta preocupação com a entrevista do Presidente da República, Michel Temer, sobre as apurações de suposta prática de lavagem de dinheiro envolvendo a si e a seus amigos e familiares”, afirmou a ADPF na nota.

“É necessário serenidade, sobretudo daquele que ocupa o comando do país, para que suas manifestações não se transformem em potenciais ameaças e venham a exercer pressão indevida sobre a Polícia Federal. A ADPF reitera que a instituição não protege, nem persegue qualquer pessoa ou autoridade pública, apenas cumpre seu dever legal de investigar fatos e condutas tipificadas como crimes”, acrescentou a entidade.

Fonte: G1

Compartilhe este post em
468 ad

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *